Lagartas da couve – 4 dicas naturais para prevenir e controlar!

Plantar couves combina bem com a horta de outono e inverno. Mas atenção, porque plantar couves para colher, traz uma garantia de visita quase certa: a das lagartas! Podemos plantar couves durante o ano inteiro, mas se há meses privilegiados para este cultivo são os mais temperados ou frios. Existem variedades de couves disponíveis para todos os gostos, com várias formas e cores: couve penca, galega, a couve coração (conhecida por repolho), lombarda, couve roxa, couve de Bruxelas e tantas mais.

Com couves na horta é quase certo que vão aparecer lagartas, sobretudo nos meses de outono e primavera. Parece assustador saber como vamos “dar conta” dessas lagartas da couve, sem dúvida (falo por experiência própria), mas ao longo destes anos, tenho descoberto algumas formas de controlar naturalmente esta praga. Não vou dizer que é das mais fáceis de controlar, pois estaria a mentir, mas diria que é possível se tivermos um pouco de atenção e alguma paciência.

Plantação de couves numa das hortas dos meus pais em Trás-os-Montes

Como identificar as lagartas da couve?

Se percebemos que existem borboletas brancas a esvoaçar no nosso jardim, devemos estar alerta. Como digo quase sempre, a prevenção ainda é o melhor remédio ou a melhor defesa no controlo natural de pragas! Antes de percebermos a existência das lagartas, vamos notar alguns pequenos buracos nas folhas das couves (refiro-me a todas as couves – família das brássicas). Nem sempre se conseguem perceber, já que são semelhantes à cor do caule e das folhas verdes. Depois, quase nunca estão na parte superior sendo por isso melhor procurá-las na parte inferior das folhas. Também é normal deixarem um tipo de bolinhas meias verdes ou castanhas (o cocó das lagartas) espalhadas pelas folhas ou no solo.

Plantar várias aromáticas por perto e fazer uma boa mistura de cultivos (máxima biodiversidade) é sempre um bom princípio. Assim, as borboletas podem escolher outras opções para colocar os seus ovos. Por exemplo, as folhas tenras e flores de capuchinha são boa alternativa para elas. Vejam ainda neste artigo, dicas de prevenção de pragas. Deixo em seguida outras formas simples de prevenção e controlo desta praga mastigadora, a lagarta da couve.

Se pretendem receitas caseiras simples e eficazes no tratamento das pragas e doenças mais comuns da horta podem receber gratuitamente o Ebook de Pragas e Doenças na Horta como bónus na compra da Box da Horta nas 4 estações 

Métodos simples para prevenir as lagartas da couve

1.Colocação de rede: se evitarmos que a borboleta toque nas folhas das couves, não vai colocar ovos.

2. Plantação de ervas aromáticas com efeito repelente: erva-cidreira, salva, orégãos, alecrim e flores de calêndula

3. Plantar plantas amigas e boas companheiras, como por exemplo a capuchinha ou chagas laranjas e amarelas

4. Pulverizar com soluções repelentes caseiras, com sabão neutro e outros ingredientes da cozinha – ver receitas aqui.

Como controlar a lagarta, quando a prevenção não resultou!

Por norma, gosto de aceitar que exista diversidade de bicharada no jardim, mesmo as lagartas. Afinal, adoro ter borboletas e idealmente, se existir biodiversidade, vai haver um controlo natural, acabando por funcionar a médio prazo. Por exemplo, as lagartas são deliciosas para pássaros que visitem o nosso jardim. Estes, se tiverem alimento, não vão petiscar nos morangos, mirtilos ou girassol!

Contudo, ninguém gosta de plantar couves, cuidar delas para depois serem todas comidas por lagarta. Por isso, quando a prevenção, chega tarde ou não traz os efeitos que esperamos, devemos atuar, sempre com cuidado de não causar danos colaterais no ambiente. Em baixo deixo 4 sugestões de controlo natural para controlar de modo natural.

Quando a prevenção não resulta, devemos atuar sobre as pragas de imediato por isso se pretendem receitas caseiras simples e eficazes no tratamento das pragas e doenças mais comuns da horta podem receber gratuitamente o Ebook de Pragas e Doenças na Horta como bónus na compra da Box da Horta nas 4 estações 

1. Procurar e retirar manualmente e aplicar repelente (piretrinas)

Temos apenas que verificar na parte inferior das folhas e na base das plantas para colher as lagartas e ovos. Eu sei que não é apelativo para todos, mas curiosamente, se tiverem crianças, vale a pena experimentar com elas esta experiência de caçar lagartas, vão achar divertido.

Na prática, basta ter um recipiente com água à mão e colocar as lagartas que apanhamos nesse recipiente. Em seguida, podemos despejar noutro local (lonje do jardim) ou se tiverem galinhas, dar-lhe como petisco. Este método não requer necessidade de comprar qualquer recurso, mas vai exigir alguma atenção e paciência para verificar folhas de todas as couves. Importa ainda referir que esta opção é pouco praticável se tivermos muitas couves plantadas. Também não funciona bem quando para as couves de Bruxelas e repolhos, que crescem em forma de cabeça.

Depois de retirar manualmente, devemos fazer uma pulverização com um repelente que funciona bem se for aplicado numa fase de propagação não muito avançada: as piretrinas naturais. Trata-se de um extrato feito à base da flor dos crisâtemos.

2. Utilizar farinha (qualquer farinha)

A farinha é um alimento comum em todas as despensas e descobri à pouco que é eficaz no controlo de lagartas. Basta polvilhar nas folhas onde se encontram e o efeito que vai ter é a desidratação das lagartas, sobretudo em dias de sol. Pode tender a descolorir um pouco as folhas das couves, mas acaba por ser eficaz quando utilizado em SOS. Como sugestão de aplicação, podemos utilizar um frasco de plástico furado na tampa e basta sacudir nas folhas, é bastante simples!

3. Armadilhas para traças e borboletas

Estas armadilhas funcionam como um misto de efeitos, já que ajudam na prevenção e controlo. Depois de um ataque e controlo (mesmo que tenham tido sucesso com as técnicas que indico em cima) nada nos garante que as borboletas não possam voltar a colocar os seus ovos. Por isso, estas armadilhas podem ajudar!

Como funcionam? a feromona associada à armadilha permite atrair e capturar seletivamente um elevado número de insetos macho nocivos, tendo uma eficácia garantida e que não prejudica nem as plantações nem o solo. Não aparecem em qualquer centro de jardinagem, mas podem procurar estas armadilhas em lojas da especialidade (agricultura biológica).

4. Aplicação de BT – Bacillus Thurringiensis

Bem, sei que o nome assusta, mas trata-se simplesmente de uma bactéria completamente inofensiva para o homem e para outros insetos benéficos e amigos da horta. Também não está facilmente disponível em qualquer loja, no entanto é bastante eficaz.

Como funciona? quando as lagartas ingerem esta bactéria, aplicada através de pulverização, acabam por deixar de comer e morrem. À semelhança das armadilhas, não aparecem em qualquer centro de jardinagem, mas podem procurar estas armadilhas em lojas da especialidade.

Outras sugestões para controlo natural de pragas na horta!

Descrevi vários métodos de prevenção e controlo e gostaria muito de saber se já utilizaram algum destes ou até outros métodos naturais e ecológicos que funcionam. Se sim, partilhem comigo!

Tenho ainda um guia digital que pode ajudar para controlo das várias pragas do jardim e horta sem utilização de métodos agressivos, apenas ecológicos e com várias receitas caseiras: controlo de pragas da horta (ver no link em baixo). Este ebook faz parte dos recursos que disponibilizo no meu curso online de horta urbana. Deixo ainda sugestão de vários artigos para controlar os vários tipos de pragas que nos visitam na horta. Se gostaram deste artigo, não se esqueçam de partilhar!

Como tratar pragas – Inseticida natural

Fungicidas naturais para tomates

10 medidas para prevenir pragas na horta

Vídeo – Como tratar pragas e doenças da horta e jardim

controlo de doenças da horta

Slider

Guardem este Pin!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *