Como cultivar curgete – Guia completo

O cultivo de curgete em vaso pode parecer um desafio, sobretudo se é um jardineiro urbano principiante. No entanto, posso garantir que é uma das hortícolas de fruto com maior produtividade, se lhe garantirmos todos os cuidados de manutenção importantes. Além disso, comer curgetes cultivadas por nós vai ter uma gratificação e sabor sem igual.   É sem dúvida é um dos cultivos que aconselho sempre na horta de Primavera-Verão.

Neste artigo (promovido pela Nutrofertil ) encontra um guia detalhado das condições e truques de cultivo da curgete, desde a plantação até ao diagnóstico e tratamento de problemas de polinização e doenças mais comuns.

cultivar curgete

Condições e calendário de cultivo da curgete

  • Luz solar: muito sol (exposição direta com mais de 6h00 de sol por dia)
  • Volume mínimo para plantar em vaso: 30   litros por cada pé de curgete
  • Temperatura ideal: variável entre 15-25 ºC (temperatura máxima de 35 ºC e mínima de 10 ºC)
  • Rega: regular para manter o substrato húmido, mas sem encharcar
  • Semear: de preferência em viveiro a uma profundidade média de 3 cm
  • Transplantar: quando tem entre 3 a 4 folhas completas. Temperatura ideal: 20 ºC.
  • Associações favoráveis: alface, rúcula, rabanete e feijão
  • Associações desfavoráveis: pepino e couves
  • Semear em viveiro: Inverno até início da Primavera (dezembro a março)
  • Semear direto na horta: durante a Primavera (março-maio)
  • Transplantar na horta: durante a Primavera até ao início do Verão (março a junho)
  • Colheita*: Desde o fim da Primavera até o Outono (de maio a outubro)

*O tempo de colheita vai variar com as variedades escolhidas e por isso, devem ser consideradas as indicações de calendário nas embalagens do fornecedor de sementes.

Pode ser necessário transplantar para um vaso maior em altura de frio, ou com risco de geada Se tiver feito uma sementeira antecipada durante os meses de Inverno (janeiro-fevereiro). Nesse caso, deve ter o cuidado de proteger as mudas de curgete com estufa até à altura de plantar no local definitivo.

2. Cuidados na sementeira e transplantação

Se tiver a temperatura ideal (aproximadamente 20 ºC), as sementes de curgete germinam com alguma rapidez (entre 5 a 7 dias). Quando as sementes germinam, é aconselhável dar-lhes algumas horas de luz solar direta por dia. Isto favorece o seu crescimento e faz com que se habituem ao sol, evitando que girem à procura da luz ou fiquem estioladas (caules demasiado compridos). Podemos aumentar progressivamente as horas de sol diárias para que as plantas possam adquirir maior resistência ao sol e ao calor.

Podem ser transplantadas quando o risco de geada já tiver passado e tiverem entre 2 a 3 folhas. Na semana que vai transplantar, deve fazer o chamado “endurecimento” das mudas já que estas são muito sensíveis à mudança de ambiente. A prática consiste em colocar os vasos ou tabuleiros com mudas no exterior e recolher de novo à noite, durante 1 a 2 semanas.

Durante o processo de transplantação devemos evitar mexer nas raízes, por isso se tiver semeado mais do que uma muda no mesmo vaso, será preferível cortar uma das mudas (utilizando a tesoura) ao invés de a arrancar.

Escolha um vaso grande (com mais de 30 litros) e um substrato adequado para horta. Se for biológico melhor. Nos meus cultivos, gosto de utilizar a gama de substratos ricos em matéria orgânica, para horta bio da Nutrofertil e Nutreasy.

3. Cuidados de manutenção importantes

Cuidados com a rega

A curgete é uma hortícola com grandes necessidades de água, nomeadamente na época de floração e produção de frutos (curgetes). A rega deve ser frequente, evitando que haja encharcamento.

Durante os meses de muito calor, pode ser benéfico regar 2 vezes ao dia (manhã e ao entardecer) evitando molhar as folhas. Uma rega automática com gotejadores é a melhor opção. Para evitar perdas de água por evaporação nos meses mais quentes, pode acrescentar uma boa camada de mulching como palha, feno ou serrim de madeira não tratada. Veja mais dicas sobre mulching neste vídeo.

Rotinas de fertilização

A fertilização cuidada é a melhor forma de evitar os problemas causados por pragas e doenças na curgete. A falta de nutrientes, são uma das causas mais frequentes de distúrbios fisiológicos graves que acabam por deixar as plantas mais fracas e por isso mais suscetível a doenças.

Quando as plantas são ainda jovens (antes da transplantação), deve ser feita uma fertilização líquida para incentivar o seu crescimento. Esta fertilização pode ser feita duas semanas depois das sementes terem germinado. É importante realçar que vamos ter que manter as plantas germinadas em pouco espaço durante umas 6 semanas em viveiro e por isso é fundamental adicionar alguns nutrientes.

Depois da transplantação e até à floração, não há necessidade de fertilizar, sobretudo se teve o cuidado de escolher um substrato adequado para cultivar hortícolas (os substratos da nutrofertil bio para horta já têm os nutrientes suficientes, mesmo que cultive em vaso).

Na fase de floração, à semelhança do que acontece com outros legumes de fruto, é importante fazer uma fertilização cuidada, rica em potássio e fósforo. Neste vídeo, encontra dicas de fertilização orgânica da horta.

Colheita

É preferível colher as curgetes quando são pequenas. Têm melhor sabor, menos sementes e também ajuda a incentivar a planta a produzir muito mais curgetes. 

Dicas extra*

Para garantir melhores resultados com a polinização, deve ter no mínimo 2 plantas e idealmente 3. Assim vai garantir mais produtividade, devido à polinização, já que menos podem não garantir um n.º de flores masculinas e femininas em simultâneo e dessa forma, mesmo com abelhas e outros polinizadores, não haver polinização.

*Algumas das folhas da curgete podem ficar amarelas e até mesmo secas, é um processo normal se as folhas afetadas forem as mais velhas (estão na base da planta mais em baixo). Remova estas folhas por forma a ajudar no arejamento da planta e evitar assim a propagação de fungos,

curgete em canteiro

4. Prevenção de pragas, doenças curgete

Uma das doenças mais comuns é o oídio. Por isso é importante balancear de modo equilibrado a fertilização, manter as plantas limpas (podar) e estar atento aos primeiros sinais de desiquilíbrio.  Aplicar algumas aplicações preventivas de fungicidas caseiros, à base de camomila e cavalinha é uma boa prática. Encontra receita aqui, neste artigo.

Se houver sinais de alerta, e notar alguns sintomas já evoluídos, pode aplicar um fungicida autorizado em agricultura biológica. Desta forma vai conseguir identificar e tratar corretamente e de preferência com tratamentos ecológicos que não desequilibram o ecossistema de cultivo.

falhas polinização da curgete

5. Como resolver falhas na Polinização?

Na mesma planta de curgete, vai encontrar flores masculinas e femininas. Estas conseguem distinguir-se facilmente porque as flores fêmeas têm um caule espesso (onde se vai desenvolver o fruto – curgete). Para que esta se desenvolva, precisa de ser polinizada com o pólen das flores masculinas (não aparece este espessamento).

Sintomas de falta de polinização: quando as curgetes ficam muito pequenas e começam a amarelar na parte da flor e depois no final apodrecem.

Como prevenir falhas na polinização da curgete?

  • Plantar mais do que 1 planta (idealmente 3 ou mais plantas).
  • Aplicar fertilização rica em fósforo e potássio na fase de floração.
  • Plantar flores por perto que atraem as abelhas, como calêndulas e alfazema.
  • Ajudar na polinização de forma manual. Para tal, basta recolher algum pólen das flores masculinas e aplicar com a ajuda de um pincel ou mesmo manualmente nas flores fêmeas, para garantir que o pedúnculo delas vai se desenvolver e produzir curgetes. Neste vídeo mostro como fazer!

Se pretende começar a esta e outras hortícolas na sua horta, conheça o meu Curso online Horta Urbana, onde vai aprender a cuidar e colher da horta como um verdadeiro agricultor urbano! (veja aqui todos os cursos disponíveis)

Espero que este artigo lhe seja útil e se tiver dúvidas, pode ver o vídeo sobre este cultivo no meu canal do youtube. Aproveite para subscrever e partilhar a quem possa interessar!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *