Cultivar tomate a partir de sementes – em 7 passos!

Qual seria a motivação para cultivar tomate a partir de sementes, se podemos comprar mudas prontas de tomate em qualquer viveiro? Talvez seja uma questão que todos podemos fazer, mas a resposta é simples: poder escolher entre mais variedades!

Quando compramos num viveiro, podemos ter disponíveis uma meia dúzia de variedades (às vezes mais), mas se os cultivamos a partir de sementes, podemos escolher entre centenas de variedades. Além disso, ajuda a economizar algum dinheiro e claro que será tanto mais vantajoso quanto mais mudas venha a plantar.

Se pretende começar a cultivar tomate a partir de sementes ou outras hortícolas na sua horta, conheça o meu Curso online Horta Urbana, onde vai aprender a cuidar e colher da horta como um verdadeiro agricultor urbano! (veja aqui todos os cursos disponíveis)

Cultivar tomate a partir de sementes – escolher as variedades

Existem muitas variedades de tomate e um dos critérios importantes que deve considerar na escolha é o espaço que tem disponível para cultivar.

Para simplificar neste processo de escolha das melhores variedades para cultivar tomate a partir de sementes, saiba que se dividem em 2 grupos:

Variedades de tomate indeterminados: estas variedades crescem com cerca de 2 metros ou mais de altura. Podem ser cultivados em vasos, mas vão exigir mais espaço e um cuidado extra com tutores para suportar toda a planta e frutos. Estas variedades amadurecem mais tarde, mas continuam a produzir até às primeiras geadas de outono.

Variedades de tomates determinados: são as melhores opções para espaços pequenos e sobretudo, para cultivar em vasos.

Dentro destes grupos, tem imensas variedades disponíveis em catálogos de sementes. Devendo conhecer ainda estas 3 distinções importantes:

Por cá costumo guardar as sementes de um ano para o outro ou então comprar na Sementes Vivas, (uma marca portuguesa com grande variedade de sementes biológicas!)

  • Sementes de tomate híbridas: têm normalmente a designação de F1. resultam de polinização controlada. O pólen de 2 variedades uniformes é cruzada em laboratório. A sementes destas variedades de tomate podem ser guardadas, mas sem garantia de manter a mesma qualidade das originais. A grande vantagem no cultivo de híbridos passa pela sua resistência a doenças e maior produtividade garantida.
  • Sementes de tomate de polinização aberta: estas sementes resultaram da polinização feita por insetos, vento ou mesmo de forma manual (por jardineiros). Neste caso, pode guardar sementes garantindo que vai manter a qualidade cultivada. Esta garantia acontece se cultivarmos apenas uma variedade de polinização aberta. Se cultivar 2 variedades diferentes, podem cruzar e perde essa garantia.
  • Sementes de tomate heritage: resultam de polinização aberta e que passaram de geração em geração. São as variedades tradicionais associadas a determinados locais. Além da questão cultural, garantem o que garantem melhor é o sabor. O tomate tradicional “coração de boi” é um exemplo desta linha de sementes, comercializada em Portugal pela “sementes vivas”.

 Cultivar tomate a partir de sementes – semear na altura certa

Talvez não saiba que cultivar tomate a partir de sementes demora entre 6 a 8 semanas, só para poder ter plantas prontas para transplantar. Será esse o tempo que ganha quando resolve comprar as mudas já prontas.

Ter esta noção prática, ajuda a perceber o tempo mais adequando para semear. Pois se estiver numa zona onde tem geadas ainda em março, basta semear apenas nos finais de janeiro. Mas se vive numa zona com primaveras mais amenas, pode iniciar as sementeiras de tomate logo nos finais de dezembro ou inícios de Janeiro.

Para saber quando plantar, semear e colher na altura certa, consulte o meu Calendário de Cultivo Vitalício, com referência de mais de 50 variedades de legumes, frutos, ervas aromáticas e flores.

Apesar de conhecer o clima da nossa zona geográfica, nunca temos garantias das condições climatéricas que vamos ter em cada Primavera. Por vezes começa mais cedo, outras vezes, mais tarde. Talvez por isso, que sugiro sempre sementeiras escalonadas (pelo sim, pelo não). Assim, se cultivar tomate a partir de sementes em Janeiro e em fevereiro, vai garantir mudas para transplantar em março (se o tempo permitir) e mais tarde em abril ou maio.

Aqui o importante a reter é que não deve cultivar mudas cedo de mais nem tarde de mais!

Passo a passo para cultivar tomate a partir de sementes

1. Utilizar germinadores, tabuleiros ou vasos bem limpos

Podemos cultivar tomate a partir de sementes em vários tipos de recipientes, desde tabuleiros de alvéolos próprios para sementeiras (existem muitas opções no mercado). Mas podemos ainda reutilizar várias embalagens que queiramos aproveitar, como copos de iogurte, rolos de papel higiénico ou outras. Em ambos os casos e por forma a evitar possíveis contaminações, devemos garantir que todas estão bem limpas.

2. Utilizar um substrato de boa qualidade e adequado para sementeiras

Escolher um bom substrato para semear tomate (ou outras mudas da horta) é meio caminho andado. Pode fazer a sua mistura para sementeiras, mas garanta que não utiliza terra do jardim ou de outros vasos. Prefira utilizar uma mistura de substrato novo, adicionando alguma perlite e vermiculite a um substrato universal, ou escolhendo um substrato leve já formulado para sementeiras. Para facilitar, utilizo o substrato de germinação da nutrofertil e da nutreasy.

Se humedecer ligeiramente a mistura ainda antes de encher os tabuleiros de sementeira vai evitar alguma irregularidade de humidade que pode acontecer depois de semear.

3. Colocar as sementes com a profundidade adequada

Talvez nunca tenha experimentado cultivar tomate a partir de sementes. Quando experimentar semear vai perceber que são sementes muito pequenas. Assim, se forem colocadas com muita profundidade não vão germinar. Basta uma profundidade igual ou inferior a 0,5 cm, bastando cobrir ligeiramente com algum substrato humedecido. Depois deve etiquetar para não esquecer as variedades semeadas.

4. Fornecer bastante luz às sementeiras

Muita luz após a germinação das sementes é muito importante para poder garantir mudas saudáveis e fortes. Se houver pouca luz, as mudas começam a estiolar e a tombar. Tem tendência a caules mais finos e mais frágeis. Isto pode acontecer mesmo quando coloca os tabuleiros num parapeito ensolarado, já que a luz vem apenas de uma direção. Por isso, se não tiver uma estufa com muita luz natural, pode utilizar lâmpadas artificiais que favorecem o crescimento (essa luz artificial substitui a luz solar).

5. Humidade e arejamento adequado

A questão da rega é uma das mais sensíveis!

É preciso manter a humidade nas sementeiras, mas se regar em demasia é a forma mais rápida de “matar” as mudas germinadas. Assim, se utilizar uma cobertura das sementeiras (ou mesmo um filme plástico) ajuda a manter a humidade ideal. Este processo assume maior importância até à germinação das sementes. Após a germinação, devem ser retiradas para facilitar a circulação de ar e evitar assim o aparecimento de alguns fungos.

6. Fertilizar as mudas de tomate antes da transplantação

Pode ser feita uma fertilização líquida para incentivar o crescimento, duas semanas depois das sementes terem germinado. Importa lembrar que vamos ter que manter as plantas germinadas em pouco espaço durante umas 6 semanas (mínimo), por isso adicionar alguns nutrientes é fundamental.

A forma mais prática de o fazer é regar com um fertilizante líquido diluído. Utilizo o meu húmus líquido do vermicompostor da minha horta CGarden. Uma rega com fertilização ajuda a dar um “boost” de crescimento e fortalecimento das mudinhas. Nesta fase não importa adicionar fertilizantes para tomates (ricos em potássio), pois o que precisamos é um incentivo extra para o desenvolvimento vegetativo. Pode ser suficiente uma fertilização rica em azoto, de preferência de origem orgânica. Pode opcionalmente fazer ou comprar já pronto um chorume de urtiga.

7. “Endurecer” as mudas antes de transplantar no local definitivo

O que significa “endurecer” as mudas de tomate antes de plantar? Talvez não tenha ouvido ainda este termo, mas é de fácil compreensão. Antes de plantar as nossas “mudas bebés” na horta, é importante que essas mudas possam ser ambientadas ao clima exterior. Essa ambientação deve ser gradual.

A melhor altura para ter em atenção este processo é cerca de 1 semana antes de plantar. Vai colocar as mudas em locais sombreados e ligeiramente protegidos durante o dia, protegendo-as à noite. Depois, entre 2 a 3 dias antes, pode colocar as mudas ao sol. Desta forma, de modo gradual, vão estar mais preparadas para serem transplantadas na horta.

Outros artigos relacionados: Plantar e cultivar tomate, fungicidas para tomates e vídeo “como podar tomate.

Deixo o link de alguns artigos e vídeo extra sobre este cultivo tão apreciado para que tenha sucesso nos seus cultivos. Se está na fase inicial de se aventurar neste mundo da agricultura urbana, tenho ainda uma ajuda extra: o meu curso de horta urbana (clique na imagem em baixo para mais informação).

Slider

Guardem este Pin! (aproveitem e espreitem o meu Pinterest)

Guia-para-cultivar-tomate-a-partir-de-sementes

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *