Horta em vasos – passo a passo!

O cultivo de hortas no ambiente doméstico é sem dúvida uma tendência e torna-se uma boa opção para quem possui espaço exterior com boa exposição solar. Acima de tudo, e talvez o ingrediente necessário senão o mais importante, seja o interesse em produzir algumas hortaliças, ervas e frutos para consumo próprio. É possível criar uma horta em vasos, aproveitando espaços vazios de varandas e pátios. Em alguns casos, pode ser mesmo vantajoso plantar em vasos, dada a possibilidade de trazer assim as pequenas hortas para locais mais reservados do frio ou próximos da cozinha!

Existem vários fatores fundamentais para o sucesso da horta em vasos, sendo necessário ter alguma preocupação na localização da mesma, na escolha dos vasos, substratos e as variedades de plantas que se pretendem cultivar.

Numa varanda ou pátio, podemos cultivar uma enorme variedade de ervas aromáticas e várias hortícolas que podem dar aquele sabor único a saladas e sopas. Podemos cultivar ainda alguns “pequenos frutos vermelhos” como morangos ou mesmo framboesas, amoras e mirtilos..

Assim deixo uma sequência de passos simples para plantar em vasos. Certamente serão úteis, especialmente se não sabem mesmo por onde começar!

horta-em-familia

1.º Antes de começar: reunir o Material necessário

  • vasos
  • sementes ou plantas jovens (mudas de viveiro)
  • substratos para cultivo
  • argila expandida ou similar para facilitar drenagem
  • manta de drenagem
  • fertilizante orgânico
  • pá, ou ancinho de jardinagem
  • regador
  • tesoura de poda
  • pulverizador de 3 a 5 Litros (para aplicação de tratamentos)
  • luvas e avental de jardinagem (opcional)

2.º Horta em vasos – localização

A maior parte das hortícolas gosta de bastante sol, mais de 6 horas diárias, quer seja inverno ou verão. O cultivo de hortícolas em varandas viradas a “norte” é mais restrito em termos de variedades, uma vez que dificilmente conseguem ter cinco a seis horas de sol no Inverno. Ainda assim, não devemos desistir de tentar e escolher as variedades que precisam menos luz solar direta (entre 4 a 5 horas. Deixo algumas:

  • acelga
  • alface
  • agrião do jardim
  • alho
  • alho-francês
  • rabanete
  • rúcula
  • beterraba
  • cebolinho
  • salsa
  • coentros

3.º Uma boa escolha de vasos faz toda a diferença

No mercado existem vasos de todo o tipo, em diversos materiais e tamanhos. Também podem ser reutilizados garrafões de plástico ou metal ou qualquer outro recipiente que possa servir para plantar, desde que sejam lavados para não conterem qualquer tipo de contaminante.

Devem ser evitados vasos com profundidade inferior a 20 centímetros e o diâmetro deve variar de acordo com o que vamos cultivar. De preferência, nunca inferior a 20 ou 30 centímetros de diâmetro”. Devem ainda ser leves, para facilitar o transporte e para não sobrecarregar a estrutura do edifício. Permitir uma boa drenagem é essencial, para eliminar o excesso de água. Se a drenagem não for adequada, vamos promover a asfixia das raízes e mais que provável morte da planta.

Portanto, ao contrário do que muitos possam pensar, o mais importante é o volume total de substrato que um recipiente pode conter e não apenas a profundidade. As plantas mais pequenas, como a alface ou os espinafres, necessitam de menos volume (3 a 5 litros basta). Outras, como pimentos ou tomates necessitam de recipientes com 15 a 20 litros de volume no mínimo.

horta em vasos

4.º A importância da escolha do substrato

É possível encontrar no mercado misturas preparadas de substratos enriquecidos ou então, pode comprar um substrato universal e enriquecer com um composto orgânico (com função de fertilizante).

O substrato deve estar isento de sementes e agentes patogénicos devendo evitar por isso a utilização da terra do campo. Além disso, o substrato deverá ser leve e perfeitamente miscível com outros materiais, ter um PH próximo de 7, ser permeável, possuir uma granulometria que permita um adequado arejamento e absorver facilmente a água.

5.º A escolha das variedades que vamos cultivar em vasos

Devemos planear os cultivos de acordo com a altura do ano e de acordo com as nossas preferências gastronómicas. Depois de decidir o que vamos plantar, devemos adquirir sementes ou comprar plantas prontas para transplantar.

Existem duas formas básicas de sementeira: sementeira directa na horta ou sementeira em tabuleiros de germinação para depois transplantar para a horta. Algumas variedades de plantas não devem ser transplantadas, devendo por isso semear-se directamente nos vasos definitivos. Alguns exemplos de plantas para semear diretamente no vaso (local definitivo): rabanetes, rúcula, cenouras, feijão, ervilhas e nabos.

Algumas variedades fáceis de cultivar na varanda nesta altura do ano (outono-inverno): alface, alho-francês, alho, acelgas, beterraba, rabanete, rúcula, canónigos, espinafres, agrião, cebolinho, coentros, salsa

Se gostaram deste artigo, partilhem com amigos. Vejam entretanto o calendário de workshops para 2020 com o tema ” a minha primeira horta urbana.”

Workshop – a minha 1.ª Horta urbana (Braga)

Workshop – a minha 1.ª Horta urbana (Porto)

Workshop – a minha 1.ª Horta urbana (Lisboa)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *